NotíciasPublicações, Vídeos, Novidades e Eventos

STJ JULGA OBRIGAÇÕES DE EMPRESAS QUE LIDAM COM AMIANTO

Companhias buscam diminuir deveres relativos à saúde de trabalhadores expostos à substância

por Livia Scocuglia - Brasília  I   Giovanna Ghersel - Brasília

Empresas que extraem e industrializam amianto podem ter novos deveres em relação aos seus empregados e ex-empregados. A 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) começou a julgar, nesta quarta-feira (14/06), mandado de segurança das companhias que buscam diminuir as obrigações relativas à saúde dos trabalhadores expostos à substância.

O julgamento, no entanto, foi interrompido por pedido de vista antecipado do ministro Francisco Falcão.

O Brasil é o terceiro maior produtor de amianto no mundo, substância banida em vários países pelo perigo que causa à saúde tanto dos trabalhadores quanto dos consumidores. O amianto é uma fibra mineral natural de baixo custo e facilmente encontrado na natureza e que é usado para a produção de fibrocimento que se transforma, por exemplo, em telhas e caixas-d’água.

De acordo com a Lei 9.055/95, empresas que utilizam extração e industrialização da substância tem obrigação de, anualmente, enviar listagem dos empregados expostos, além do diagnóstico e resultados de exames médicos.

Leia mais...

BRASIL SEM AMIANTO

Risco para o desenvolvimento do mesotelioma recai sobretudo em trabalhadores da cadeia produtiva do amianto, que estão expostos à inalação de pó com as fibras

 

por 

A exposição ao amianto, fibra ainda amplamente utilizada na produção de telhas e outros itens da construção civil no Brasil, continua a representar um grave problema de saúde pública. Precisamos banir inteiramente o seu uso, seguindo o exemplo de mais de 50 países, inclusive alguns da América Latina, como Argentina, Chile e Uruguai.

A exposição configura um risco direto para o desenvolvimento de um tipo de câncer denominado mesotelioma, que cresce preferencialmente nas membranas serosas do corpo como pleura (reveste o pulmão), peritônio (reveste o abdômen) e o pericárdio (reveste o coração).

Leia mais...

VÍTIMAS DO AMIANTO TERÃO TRATAMENTO ESPECIALIZADO NO INCOR

por Cristiane Alves

Os trabalhadores da região de Osasco que tiveram contato com amianto em algum momento de sua atividade profissional têm agora a assistência de um ambulatório no Incor (Instituto do Coração), vinculado ao Hospital das Clínicas de São Paulo. O atendimento irá priorizar as vítimas de Osasco, que por décadas sediou fábricas como Eternit e Lonaflex, cuja principal matéria-prima era a fibra cancerígena. A boa notícia foi dada na noite de quarta-feira, 5, durante o primeiro encontro do 38º Ciclo de Debates, em Osasco, pela militante da Abrea (Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto), Fernanda Giannasi, e pelo médico responsável pelo setor de saúde ocupacional do Incor, Ubiratan de Paula Santos.

Leia mais...

TUDO POR DINHEIRO: IGREJA DE PEDRO LEOPOLDO AFASTA TRABALHADORES E LIBERA ESPAÇO PARA FABRICANTE DE TELHA DE AMIANTO COLOCAR PROPAGANDA

por Conceição Lemes

Com esse lembrete alguns empregados da Precon Material de Construção, de Pedro Leopoldo (MG), saíram da segunda conversa que tiveram com integrantes da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto —a Abrea — , em 18 de abril. A primeira aconteceu em 29 de novembro de 2016.

Todos convidados na base do boca a boca.

Em junho, porém, receberam a péssima notícia.

A administradora da capela, antes tão solícita — fez até lanche para eles — , comunicou-os secamente, sem maiores explicações, de que não seria mais possível fazer as reuniões lá.

Minas Gerais é um dos cinco estados brasileiros que ainda permitem a fabricação e comercialização de produtos com amianto, a fibra assassina.

Leia mais...

DOCUMENTÁRIO DESMASCARA A INDÚSTRIA DO AMIANTO, A FIBRA CANCERÍGENA, NO BRASIL.

Da Redação, com Repórter Brasil

Estreou nessa sexta-feira (02/06), no Centro Cultural de São Paulo (Vergueiro), o longa-metragem Não respire — Contém amianto, documentário da Repórter Brasil.

Ele participa da competição latinoamericana da 6a. Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental.

Banido em quase 70 países por causa de seu devastador poder cancerígeno  — o Canadá foi o último anunciar a proibição, a partir de 01/01/2018 –, o amianto ainda é vendido em 18 estados brasileiros.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) garante que não há limite seguro de exposição a esse minério largamente utilizado na construção civil brasileira.

Leia mais...

COM AJUDA DE POLITICOS LOBBY DO AMIANTO TENTA LIBERAR SUA VENDA NO PAIS

''Mas o amianto já não está proibido?'' Certamente, essa é a pergunta mais recorrente quando o assunto é amianto no Brasil. No entanto, como muita gente nem sabe do que se trata, vale uma breve introdução: o amianto é uma fibra mineral barata, maleável e super resistente ao calor. Por isso, é largamente utilizada na construção civil, principalmente na fabricação de telhas. Só que há um detalhe inconveniente: o amianto é cancerígeno. Uma vez respiradas, suas fibras podem desencadear doenças pulmonares devastadoras que levam até quatro décadas para se manifestar. Uma verdadeira bomba relógio.

 

Leia mais...

ISDRALIT AGORA É 100% SEM AMIANTO - EMPRESA DO GRUPO ISDRA MODERNIZA POSICIONAMENTO NO MERCADO

Entre as três maiores fabricantes de telhas de fibrocimento no Brasil, a Isdralit, empresa do Grupo Isdra, agora firma a produção sem o uso de amianto em todas as suas unidades. A substituição do mineral pelo PVA (poli álcool vinílico), alternativa mais ecológica, já era utilizada na fabrica de Curitiba, Paraná, e, agora, também é aplicada em Sapucaia do Sul, Rio Grande do Sul. Esta modificação consolida o novo posicionamento da marca, que vem modernizando sua visão de mercado. No último ano, a Isdralit teve crescimento de mais de 35% na capacidade produtiva.

 

Leia mais...

DOCUMENTÁRIO “NÃO RESPIRE” DESVENDA LOBBY DA INDÚSTRIA DO AMIANTO NO BRASIL

 

A première do novo documentário da Repórter Brasil, “Não Respire – Contém Amianto”, já tem data marcada: 02 de junho, às 20h, no Centro Cultural São Paulo. O longa-metragem faz parte da competição latinoamericana da 6a. Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental.
Banido em quase 70 países por causa de seu devastador poder cancerígeno, o amianto ainda é vendido em 18 estados brasileiros. A Organização Mundial da Saúde (OMS) garante que não há limite seguro de exposição a esse minério largamente utilizado na construção civil brasileira.

No documentário, o trio de diretores – formado por André Campos, Carlos Juliano Barros e Caue Angeli – investiga como a indústria do amianto no Brasil tenta vender a imagem de que o tipo de minério usado no bilionário mercado de telhas, chamado de “crisotila”, não é tão mau assim. Investindo em marketing, financiando pesquisas acadêmicas e fazendo doações milionárias para campanhas políticas, a indústria tenta convencer a opinião pública de que é possível usar o amianto crisotila de forma segura e controlada.

Leia mais...

София plus.google.com/102831918332158008841 EMSIEN-3